15 de jun de 2011

Furação



Em dias frios, soldados marcham.Eles esperam a tormenta passar, vestem suas armaduras e preparam seus escudos e lanças para o combate que ainda está por vir. Chegou a hora....paredes invisíveis se movem, árvores flutuam, derrubando ninhos, destruindo destinos. Aquela cadeira não parava de girar. Fechei meus olhos e, ao invés de esperar o tempo passar mais depressa, pensei que meu abajour fosse apagar de vez.

Um comentário:

Natalia Campos disse...

Com as suas palavras, consigo imaginar mil coisas. O que você vive, já viveu ou quer viver se dissolve em palavras e com suas palavras, minha imaginação flui naturalmente. Você escreve muito bem e não é a primeira vez que digo isso. Escreva sempre. Se depender de mim, serei sua eterna leitora. Beijos. Au revoir.