17 de dez de 2008

Lá fora, ainda chove.

Ao meu tempo, procuro dar valor
Tranco as portas, já não sinto tanta dor.
Aquela vez, me fez entender. Sala vazia,acho que é mais um dia de trabalho
O armário não é aberto com tanta facilidade. Posso girar diante das belas luzes dessa cidade.
Não sinto que a rima dita o ritmo da canção. Acredito que todos nós a ouvimos de uma forma diferente. Faça com que suas frases signifiquem algo de real valor a você.
As coisas não duram pra sempre, e quando duram fatalmente perdem sua graça.
Fiz minha história, e a rabisquei em folhas de rascunho, mas jamais tive algo pronto. Porém, sinto-me bem de pensar que coisas boas acontecem de repente.

Um comentário:

Aline disse...

Sou eu, Liih!
ahduasd
Eu gosto de coisas 'de repente', sempre salva o seu momento suicida.
Adorei o texto, mais uma vez. Poeta! Cof cof ~
Vamos pra Babylon?
Beiju