21 de dez de 2008

Porta entreaberta, alguns semblantes estranhos.

As imagens aparecem em meu travesseiro,
São vultos, luzes, vozes.
Disse cem por cento por duas vezes hoje,
foram sentidos diferentes.

Não me sinto em casa,
não fui ao quarto e passei a minha tarde sentado,
calado.
Uma certa impaciência, falta de pudor.

Estou bem por me imaginar amanhã,
neste mesmo lugar,
podendo ouvir o "meu" Dance sossegado,
num quarto pacato e sem ouvir tantas futilidades.

Nenhum comentário: