18 de mai de 2012

Notes From Underground

Nunca pensei que aquela estrutura de madeira e grafite fosse capaz de causar tanto dano. Acendo cigarros com uma certa dificuldade devido aos calos e bolhas em meus dedos. No entanto, Dostoevsky me ensinou que, independente de sua essência, qualquer tipo de sofrimento é relativo e, eventualmente, transformado em prazer. Acho que isso explica o período prolongado de minha "recuperação". Por dois dias consecutivos, fui dominado por uma preguiça descomunal. A parte positiva desse hábito um tanto desagradável foi que não tive pesadelos. Curiosamente, nessas duas ocasiões, acordei com o barulho incessante do cortador de gramas. A aparência rústica e sedutora das azaléias é coberta pelo insistente fluxo de água da mangueira. Parece que, depois de muito tempo, reaprendi a notar a tímida beleza de objetos que cercam meus arredores. Talvez, aquele quadro oriental decorasse a parede por séculos. Quem teve a brilhante idéia de colocar a estante do banheiro na cozinha? Sim, minha mente ainda está um pouco desorientada e sofre de frequentes fases "nonsense".

Nenhum comentário: