23 de fev de 2011

Aurora

Imagine um livro com páginas em branco e capítulos aleatórios. Sou o protagonista, mas isso não quer dizer que seja tão importante. Preciso de um lápis que não se acabe e uma borracha que apague apenas as coisas que não me fazem bem. Acordei sentindo um coma cerebral como a maioria de minhas manhãs, meu cérebro requer duas horas pra começar a funcionar. Agora estou sentando, mirando meu quarto semi-arrumado e meu computador deformado depois da queda. Nada é tão ruim, preciso quebrar essa rotina de lar-biblioteca-cafeteria-lar e voltar a sentir prazer com atividades que estimulem a minha paz interior. Imagine aquele mesmo livro, agora com um contexto coerente e detalhes, mas ainda com páginas em branco que esperam ansiosas a serem escritas.

Um comentário:

Unknown disse...

E então você me matou com suas palavras.